Diversão

Tem vezes que a inspiração simplesmente vem, bate a vontade de escrever e o blog justifica a sua existência patética nesse mundo capitalista. Como justifiquei para nossos leitores e para mim mesmo em meu último post, entendo que isso aqui possa ter sua freqüência seriamente diminuída nesse período de tranqüilidade. Mas não me contive e resolvi alegrar a minha estadia forçada em casa. 

Observação do autor: Binha, esclarecendo um mal entendido: eu não fui pra social alguma. Não posso sair de casa, minha mãe não está deixando e se fosse pra ir pra social, eu teria ido na sua! O que eu falei pra Lívia foi que eu ia fazer uma social, já que o losCar e a Stephanie estavam aqui em casa. Simples assim.

Agora vai o texto:  

n motivos para o personagem autobiográfico não poder dirigir 

– Ele anda de bicicleta

– Ele é facilmente influenciável

– Ele gosta de se mostrar

– Ele é apressado

– Ele é irritado e não tem porte de armas 

Agora para aprofundar os tópicos postos em forma de citação para levarem à reflexão, análise e explanação: 

Tratando-se de alguém com uma personalidade e um humor tão volátil, tão sujeito a variações constantes e drásticas, pode-se explicar a vontade de andar de bicicleta. Não há forma melhor de tirar a cabeça de determinado tema do que levar o organismo à exaustão. Essa técnica milenar, oriunda da China antiga, não pode ser empregada na contemporaneidade veicular. A exaustão corporal não é algo fácil de ser atingida através da seguida pilotagem, a não ser que seja por meio de uma maratona de direção até pontos longínquos – como Porto Seguro. 

A questão de o personagem gostar de se mostrar é outra de suma importância. Novamente, tocando a sua volatilidade, pequenos gestos, atos, músicas e brincadeiras podem levar risco à vida do motorista e de seus passageiros, uma vez que gerem “desafios”. 

A pressa é inimiga da perfeição. E como não vivemos em uma das mais tranqüilas cidades do mundo, fica difícil não discutir sobre barbeiragens causadas por audácia veloz provocada pelo atraso ou até mesmo pela pressa. Brigas de trânsito, mortes e graves acidentes são as conseqüências da soma irritação com pressa menos o porte de armas, algo que praticamente asseguraria – em algumas situações – a segurança de nosso personagem autobiográfico. 

É por isso que a solução para nosso amigo é: andar de pônei branco, porque “if you wanna ride, ride the white poney.” – dessa forma os riscos são bem menores e a ciclovia pode ser usada com mais tranqüilidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: