E tomaram sorvete como se não houvesse freezer amanhã

Diante de um freezer com 29 opções de sorvete, provaram os primeiros 17 sabores para terem certeza qual cada um iria tomar. Ele optou pelo mais simples e casual, uma bola na casquinha da verdadeira polpa de maracujá. Ela teve escolha mais inusitada: sorvete de brownie. A improvável transformação do bolo de chocolate quente em sorvete gelado provocou nela um desejo inexplicável, incompreendido e repentino: era de brownie e nenhum dos anteriores 16 ou dos próximos 12 sabores seriam mais proveitosos.

Ele pagou os sorvetes. Com a mão esquerda, ele segurava a casquinha de maracujá; com a direita, segurava a mão esquerda dela, que com a direita segurava a sua casquinha de brownie. Assim continuaram a andar sem rumo. Entre pedidos dela para experimentar o maracujá e dele para experimentar o brownie, misturavam os sabores assim como suas mãos se misturavam.

Os olhares furtivos e os sorrisos ligeiros e apaixonados mostravam que por mais que a bola e a casquinha fossem inexoravelmente devoradas, o amor entre eles iria permanecer.

Os passos seguiram embalados pelo agradável gosto de sorvete em tarde de temperatura amena; e pela deliciosa companhia alheia num fim de tarde de clima potencialmente melancólico, porém, transformado em entusiasmo explosivo por causa da presença do outro.

De vez em quando, ela pegava o guardanapo e, rindo, limpava o canto da boca dele, suja com restinhos do sorvete de maracujá. Ele – sem não antes dar uma mordida em seu sorvete – ria de volta e roubava um beijo com gosto de brownie.

Tomavam seus sorvetes como se não houvesse freezer amanhã; como se todos os sorvetes do mundo fossem descongelar à meia-noite, e não fosse mais possível congelá-los de volta; saboreavam cada mordida com o perigo daquela ser a última; passavam a língua nos lábios como se nunca mais fossem estar sujos de sorvete.

Se beijavam como se esse fosse o último beijo que dariam.

No entanto, era apenas um beijo, em meio a tantos que foram e estavam por vir.

Uma resposta to “E tomaram sorvete como se não houvesse freezer amanhã”

  1. Massa Says:

    Assim, sao aquelas palavras de apoio que so poderiam partir de alguem tao doce e meigo como eu: exageradamente romantico, ou seja, levemente brega.

    Pega no meu picolé, pega!

    Safado, cadê tu para fazermos nossos deveres?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: